Arte a Duplicar

Cultura

chiado8-angela+fernanda_640
Este segundo momento da apresentação da Coleção António Cachola no espaço chiado8 confronta obras de duas artistas maiores da contemporaneidade portuguesa: Fernanda Fragateiro e Ângela Ferreira. Ambas, com ligação à arquitetura, à memória crítica do modernismo e a atenção ao eco político do processo estético definem formas complexas e poéticas de entender a relação da arte com o espectador.
Comissariado por Delfim Sardo, este ciclo assinala o arranque de um programa alargado de itinerâncias do MACE – Museu de Arte Contemporânea Elvas, que culminará em 2017, ano em que o espaço que acolhe em permanência a Coleção António Cachola, celebra o seu décimo aniversário.
A exposição de Ângela Ferreira e Fernanda Fragateiro estará patente até 30 de Outubro e poderá ser visitada de segunda a sexta-feira das 12h às 20h, com entrada livre.

COLEÇÃO ANTÓNIO CACHOLA
A Coleção António Cachola, em depósito no Museu de Arte Contemporânea de Elvas, é uma das mais significativas coleções de arte contemporânea portuguesa. A representação que António Cachola (num determinado momento com a colaboração do crítico e curador João Pinharanda) concebeu, possui uma paisagem de fundo – a arte que, em Portugal, foi sendo criada pelos artistas que desenvolveram o seu percurso a partir da década de oitenta do século passado, ou que a partir deste arco temporal definiram a sua presença. O início das aquisições, nos primeiros anos da década seguinte de 1990, são reveladores da observação de proximidade de obras e percursos artísticos de que a coleção é testemunho e a revelar
critérios apurados de escolha. A coleção, que continua em aberto, é composta por obras nos suportes e técnicas mais diversos, espelhando a multiplicidade das práticas artísticas contemporâneas.

www.cm-elvas.pt/pt/museu-de-arte-contemporanea/coleccao-antonio-cachola

O Ciclo de Exposições Coleção António Cachola no Chiado 8 resulta de um protocolo entre a Companhia de Seguros Fidelidade e o MACE, que compreende a apresentação, entre 2015 e 2017, de oito exposições da Coleção António Cachola, com curadoria de Delfim Sardo. As exposições, serão individuais, como é o caso da presente mostra de João Onofre, ou de confronto e diálogo entre obras e artistas, procurando refletir novas visões sobre a coleção, constituindo também uma forma de observação da arte produzida por artistas portugueses contemporâneos.

MAIS ARTIGOS