Arte para ver

Cultura

joao-onofre_640

Inaugurou a 29 de Maio a primeira exposição de um ciclo de oito mostras da Coleção António Cachola no Chiado 8 – Espaço Fidelidade Arte Contemporânea, com uma seleção de obras de João Onofre, comissariada por Delfim Sardo .
Este ciclo assinala o arranque de um programa alargado de itinerâncias do MACE – Museu de Arte Contemporânea Elvas, que culminará em 2017, ano em que o espaço que acolhe em permanência a Coleção António Cachola, celebra o seu décimo aniversário. A segunda mostra deste ciclo da Coleção António Cachola está já programada para julho e reunirá obras de Fernanda Fragateiro e Ângela Ferreira.
João Onofre é um dos artistas mais destacados da cena contemporânea portuguesa e a presente exposição oferece um percurso pela sua obra, guiado por uma das maiores colecões privadas nacionais. Além do vídeo Tacet, 2014, a mostra integra a apresentação de mais dois trabalhos inéditos em Portugal. A exposição estará patente de 1 de Junho a 17 de julho, poderá ser visitada de segunda a sexta entre as 10h00 e as 20h00, com entrada livre.

Tacet, 2014 (vídeo still)
Os trabalhos expostos pertencem à Coleção António Cachola e nesta apresentação exploram a relação entre artista e colecionador, bem como distintas fases da obra de Onofre

– Sem Título (We will never be bored), 1997, foi a peça de estreia do artista em vídeo e o seu primeiro comprador foi, precisamente, António Cachola; Tacet, 2014, a obra mais recente e que é agora exposta pela primeira vez em Portugal, foi co-produzida pelo colecionador, sendo claro o acompanhamento e representação da obra do artista pela coleção.
COLECÇÂO ANTÓNIO CACHOLA
A Coleção António Cachola, em depósito no Museu de Arte Contemporânea de Elvas, é uma das mais significativas coleções de arte contemporânea portuguesa. A representação que António Cachola (num determinado momento com a colaboração do crítico e curador João Pinharanda) concebeu, possui uma paisagem de fundo – a arte que, em Portugal, foi sendo criada pelos artistas que desenvolveram o seu percurso a partir da década de oitenta do século passado, ou que a partir deste arco temporal definiram a sua presença. O início das aquisições, nos primeiros anos da década seguinte de 1990, são reveladores da observação de proximidade de obras e percursos artísticos de que a coleção é testemunho e a revelar
critérios apurados de escolha. A coleção, que continua em aberto, é composta por obras nos suportes e técnicas mais diversos, espelhando a multiplicidade das práticas artísticas contemporâneas.

www.cm-elvas.pt/pt/museu-de-arte-contemporanea/coleccao-antonio-cachola

O Ciclo de Exposições Coleção António Cachola no Chiado 8 resulta de um protocolo entre a Companhia de Seguros Fidelidade e o MACE, que compreende a apresentação, entre 2015 e 2017, de oito exposições da Coleção António Cachola, com curadoria de Delfim Sardo. As exposições, serão individuais, como é o caso da presente mostra de João Onofre, ou de confronto e diálogo entre obras e artistas, procurando refletir novas visões sobre a coleção, constituindo também uma forma de observação da arte produzida por artistas portugueses contemporâneos.

JOÃO ONOFRE
Nasceu em Lisboa, em 1976, onde vive e trabalha. Estudou pintura na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e concluiu o Master of Fine Arts no Goldsmiths College em Londres. O seu trabalho tem sido amplamente difundido em vários museus e galerias internacionais, destacando-se as seguintes exposições individuais: João Onofre, I-20, New
York (2001); João Onofre, P.S.1. / MoMA Contemporary Art Center, Nova York (2002); Nothing Will Go Wrong, MNAC, Lisboa, e CGAC, Santiago de Compostela (2003); João Onofre, Kunsthalle Wien, Project Space Karlsplatz, Viena (2003); João Onofre, Magazin 4, Bregenz, Áustria (2004); João Onofre, Toni Tàpies, Barcelona (2005); Cristina Guerra Contemporary Art, Lisboa (2007); João Onofre, Galleria Franco Noero, Turim (2007); Palais
de Tokyo, Paris (2011); Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, Lisboa (2012); João Onofre, Neuer Kunstverein Wien, Viena (2013).
Onofre integrou inúmeras exposições colectivas internacionais entre as quais, se distinguem de forma mais notável: Plateau of Humankind – The 49th Venice Biennale, Human Interest, Philadelphia Museum of Art, Filadélfia; Performing Bodies, Tate Modern, Londres; Youth of Today, Schirn Kunsthalle, Frankfurt; Video, An Art, A History 1965-2005 New Media collection, Centre Pompidou, Sydney- Contemporary Art Museum, Barcelona- Fundació La
Caixa, Taipei Fine Art Museum.

O seu trabalho está incluído em diversas coleções públicas e privadas, entre as quais: Museum of Contemporary Art, Chicago; Albright-Knox Gallery, Buffalo, Nova York; Centre Georges Pompidou – MNAM/CCI, Paris; The Weltkunst Foundation, Zurique; La Caixa, Barcelona; MACS – Museu de Serralves, Porto; CAM – Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; MNAC – Museu do Chiado, Lisboa; GAM – Galeria D’Arte moderna e contenporanea, Turim; Centre National des Arts Plastiques, Ministère de Culture, Paris.

www.joaoonofre.com

MAIS ARTIGOS